quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Ana Lagôa
Ana Lagoa

ENQUANTO MARISA PARTE
vou me esconder na horta, podar e colher temperos, comer moranguinhos, ver o que estão fazendo as formigas, tapar a toca do mamanga... a panela do arroz sinaliza que está pronto, Loba dorme no sol frágil de hoje, alheia às mazelas dos humanos, coloco sacos de papel nos dois pequenos araçás, o pedreiro tapa os buracos no caminho do chuveirão, falamos em montar ali uma sauninha, coisa rústica, só para amigos especiais. Recolho as cumbucas vazias do gato Pitoco, às vezes choro... a vida segue. Eu sei o que fazer com o amor. Mas o que vou fazer com o ódio????

Nenhum comentário:

Postar um comentário